Ponte cultural Recife - Dresden une música clássica e regionalidade nordestina abrindo a Semana da Língua Alemã no CCBA | CCBA

Notícias :: Intercâmbio

Home > Notícias > Intercâmbio

Ponte cultural Recife - Dresden une música clássica e regionalidade nordestina abrindo a Semana da Língua Alemã no CCBA


O trio de violão “Tapioca de Shark”, natural da capital Pernambucana, Recife, abre a programação oficial da Semana da Língua Alemã, no Centro Cultural Brasil-Alemanha (CCBA). Reforçando a parceria de anos, através de trabalhos culturais com a cidade alemã de Dresden, capital da Saxônia, o trio, composto pelos musicistas Sérgio Deslandes, Abraão Marreira e Hugo Rocha, realiza na tarde desta sexta-feira, 10 de junho, às 18h, um concerto que, de certa maneira, será um ensaio o qual antecede a ida do grupo à Alemanha, para uma apresentação em Dresden, no dia 21 deste mês. A proposta do evento no CCBA é promover um concerto descontraído e acolhedor, onde serão apresentadas algumas das canções do repertório, que foi idealizado com o intuito de enaltecer a musicalidade nordestina.

 

Em entrevista, Sérgio Deslandes relata que “o projeto Tapioca de Shark nasceu da necessidade de alguns professores de música terem também um trabalho artístico além do educacional. De um modo geral, a música instrumental, escrita apenas para violão, não é algo que você consegue ouvir na mídia comum, apesar do violão ser um instrumento extremamente popular no Brasil. Pensando em preencher esta lacuna, começamos este projeto em 2017, inicialmente como um quarteto, e, a partir de 2020, na formação de trio”.
 
Muito embora o repertório para grupos de violões seja grande desde o século 19, ainda segundo o Sérgio Deslandes, “Trios de violões não são tão comuns, mas existe toda uma literatura destinada a esta formação que foi se ampliando no século 20”. Quando questionado sobre o repertório escolhido para a apresentação em Dresden, Deslandes comenta que tudo foi decidido com o intuito de divulgar especificamente a música brasileira produzida no nordeste, a partir de conversas iniciais com o Conservatório Leo Kestenberg de Berlim. 
 
O convite para o concerto na Alemanha partiu do próprio Conservatório de Berlim, onde um antigo professor de Deslandes leciona. Inicialmente, a proposta seria realizar uma pequena turnê nas cidades de Dresden, Berlim, Trossingen e Munique, no entanto, devido a insegurança que havia em relação à COVID-19 e à guerra na Ucrânia, as três últimas cancelaram as apresentações. Deslandes pontua que o concerto do trio em Dresden será realizado juntamente com a soprano e flautista Simone Foltran, a qual é brasileira e mora no país há mais de duas décadas. 
 
Apesar do cenário conturbado vivido no Brasil, principalmente, em se tratando de oportunidades no meio artístico, o trio “Tapioca de Shark” assume um papel social fundamental. O de fomentar e promover estímulos para investimentos nacionais e internacionais em músicos que se dedicam a desenvolver em sua produção, aspectos da musicalidade regional. “Para nós do Tapioca de Shark, esta é uma oportunidade de ouro. Antes da pandemia, o trio tocava regularmente em eventos no Recife e chegou a participar de um encontro nacional de violonistas em Curitiba. Durante a pandemia realizamos o II Encontro Nordestino de Violonistas de forma on-line e, poder retomar os concertos presenciais já com uma viagem internacional, é motivo de muita alegria”.