Notícias :: Cultura

Home > Notícias > Cultura

Jornalista Diogo Guedes apresenta destaques da Feira de Livros de Frankfurt


A Feira de Livros de Frankfurt destacou em 2018 a importância dos direitos humanos nas sociedades democráticas e o CCBA conversou com o jornalista Diogo Guedes sobre os destaques desta edição

Texto: Eugênia Bezerra
Foto: Feira de Livros de Frankfurt/Reprodução
 
Os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos inspiraram os debates realizados durante a Feira do Livro de Fankfurt (Frankfurter Buchmesse). A convite do Consulado Geral da Alemanha, o jornalista recifense Diogo Guedes, repórter e crítico de literatura do Jornal do Commercio, acompanhou o evento, que ocorreu de 10 a 14 de outubro na cidade alemã. 
 
O Centro Cultural Brasil-Alemanha (CCBA) conversou com o jornalista sobre a experiência de acompanhar a feira, que reúne pessoas de várias partes do mundo, e pediu que ele destacasse alguns temas desta edição.
 
Segundo Diogo, o evento foi marcado pela defesa da importância e da presença dos direitos humanos nas sociedades democráticas. "Os debates principais ressaltaram o papel da liberdade de expressão e o valor da diversidade para as sociedades - os escritores e as editoras têm um papel fundamental nisso. Mesmo nas atividades paralelas, como os encontros de editores, houve troca de experiências sobre as dificuldades de lidar com censuras e perseguições", comenta o jornalista.
 
 
A Feira de Frankfurt ainda teve destaques literários, como a presença da escritora nigeriana feminista Chimamanda Ngozi Adichie (foto). "Em sua palestra, a autora comentou a importância de escutar e ler narrativas que fogem às narrativas tradicionais excludentes", aponta. Além disso, por conta da temática do evento neste ano, muitas mesas foram tomadas por debates sobre o cenário político mundial, como com os riscos que os direitos humanos  podem sofrer na Alemanha, na Turquia e o Brasil, por exemplo. 
 
A dimensão da feira também é outro destaque. "São editoras e representantes de quase todos os países do mundo, com diferentes proporções e objetivos. É um panorama incrível do que acontece no mercado editorial não só das línguas alemã e inglesa, destaques principais da feira, mas também no restante do mundo", analisa. 
 
A viagem foi também uma oportunidade de conhecer mais sobre a literatura contemporânea alemã, em sua diversidade de  visões produzidas por autores como Daniel Kehlmann, Anne Weber, Lutz Seiler e Senthuran Varatharajah.
 

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em Paris, no dia 10 de dezembro de 1948,  como uma norma a ser alcançada por todos os povos e nações, a Declaração Universal dos Direitos Humanos foi elaborada por pessoas de diferentes origens jurídicas e culturais, que representavam diversas regiões do mundo.
 
No site das Nações Unidas no Brasil (ONUBR) são disponibilizados diversos documentos sobre direitos humanos, incluindo a declaração, que inspirou constituições de vários Estados e democracias desde sua adoção.